morcego

Morcego-de-ferradura-grande (Rhinolophus ferrumequinum)

O morcego-de-ferradura-grande (Rhinolophus ferrumequinum) é o maior morcego-de-ferradura existente na Europa. Está classificado com o estatuto “Vulnerável” em Portugal e, por isso, é urgente que se tomem medidas para a sua proteção. 

[© Francisco Amorim, todos os direitos reservados] – Adulto de morcego-de-ferradura-grande.

Taxonomia
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Chiroptera
Família: Rhinolophidae
Género: Rhinolophus
Espécie: Rhinolophus ferrumequinum

Distribuição e Ecologia
Estatuto de conservação em Portugal: “Vulnerável” (VU), a espécie tem uma população pequena (inferior a 10.000 indivíduos maturos) e admite-se um declínio contínuo do número de indivíduos, assim como da qualidade do habitat. À escala global está classificado como “Pouco Preocupante” (LC) pela IUCN.
O morcego-de-ferradura-grande é uma espécie que ocorre sobretudo na Eurásia temperada de forma mais ou menos contínua, desde a Península Ibérica até ao Japão, e no Norte de África. Em Portugal é claramente mais comum no Norte e Centro, encontrando-se esporadicamente no Algarve (ver mapa de distribuição aqui).
É uma espécie ubiquista que parece utilizar qualquer meio, mas prefere zonas densamente florestadas com zonas de pastagens e com disponibilidade de água. Também pode ser encontrada em áreas calcárias e em locais habitados pelo Homem.
Abriga-se tradicionalmente em grutas, nas quais se reproduz, embora também possa utilizar os telhados de celeiros, igrejas e sótãos. Durante os meses mais frios, hiberna no fundo de poços, minas, grutas e estruturas humanas, onde as temperaturas não são inferiores a 7-10°C.
Este morcego é sedentário e noturno, fazendo apenas pequenas deslocações para se alimentar (cerca de 8 km) e deslocações dos locais de descanso de inverno para os de verão (geralmente entre 20 e 30 km, mas o máximo registado foi de 180 km).
Normalmente, o morcego-de-ferradura-grande sai do abrigo 50 minutos depois do pôr-do-sol para se alimentar pela noite fora, descansando por vezes próximo do local de alimentação. Hiberna de setembro/outubro a abril, interrompendo esta inatividade 2 a 3 vezes por mês para se alimentar, caso as condições atmosféricas sejam favoráveis.
Muitas vezes caça a partir de um poleiro para uma melhor localização das presas, que se forem grandes demais, depois de as caçar, volta para o local de partida para se alimentar. Bebe durante voos baixos enquanto paira.
Emite sons relativamente agudos, que podem ser fortes chilreios vindos das colónias de verão. Ecolocação a 80-83 kHz.
Alimentação: a sua dieta é constituída essencialmente por grandes insetos, como borboletas noturnas e coleópteros.

[© Daniel Santos, todos os direitos reservados] – Adulto de morcego-de-ferradura-grande em

Morfologia Externa e Identificação
Comprimento: entre 9,2 – 11,4 cm.
Envergadura: entre 29,0 – 35,5 cm.
Peso: entre 14,0 – 34,0 g.
O morcego-de-ferradura-grande, apesar de ter tamanho médio, é o maior morcego-de-ferradura da Europa. O dorso é castanho-arruivado e as partes inferiores são mais claras, desde cinzento-esbranquiçado a amarelo esbranquiçado. Além destas características deve-se ter em atenção a folha nasal para uma correta identificação e distinção de outras espécies parecidas. Tal como as restantes espécies pertencentes ao género Rhinolophus, o morcego-de-ferradura-grande tem o nariz em forma de ferradura, distinguindo-se das demais pela lanceta larga que termina numa ponta saliente, pelo processo conectivo superior curto e arredondado e pelo processo conectivo inferior pontiagudo de perfil. A forma romba e tamanho do processo conectivo superior torna inconfundível esta espécie.
Não existe dimorfismo sexual aparente e os juvenis diferem dos adultos por possuírem o dorso mais acinzentado.
Deixa como indícios de presença, principalmente na primavera e verão, restos de insetos e excrementos debaixo de poleiros nas árvores ou nas entradas dos locais de descanso. Os voos são lentos e agitados, com planagens curtas, geralmente a baixa altura (0,3 – 6 m).

[© Daniel Santos, todos os direitos reservados] – Pormenor da folha nasal.

Reprodução
As cópulas acontecem normalmente no final de setembro, momento em que os espermatozoides são armazenados no oviduto e útero da fêmea até à ovulação e fertilização em março/abril. Os nascimentos ocorrem desde meados de junho até ao início de agosto, dependendo do local. As fêmeas prenhas, acompanhadas de alguns indivíduos imaturos e não reprodutores de ambos os sexos, formam colónias de criação, que podem conter várias centenas de animais. Os machos adultos vivem em pequenos grupos isolados.
A maturidade sexual é particularmente tardia, nas fêmeas é atingida no terceiro ou quarto ano de idade e nos machos a partir do segundo ano. As fêmeas podem não criar todos os anos, mas quando o fazem têm apenas um ninhada por ano constituída por uma cria.

Nota importante: As populações de morcego-de-ferradura-grande têm diminuído drasticamente ao longo dos anos fruto de enumeras atividades ligadas ao ser humano, tais como: destruição e perturbação de abrigos, destruição de florestas autóctones, poluição, perseguição direta, etc. O facto de esta espécie produzir apenas uma ninhada com uma cria por ano, atingir a maturidade sexual tardiamente (os indivíduos podem morrer antes de se reproduzirem) e serem suscetíveis a temperaturas baixas, dificulta ainda mais a sua conservação.

Referências
Cabral, M.J., Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand, A.N., Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queirós, A.I., Rogado, L., and Santos-Reis, M. (2005). Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. (Instituto da Conservação da Natureza, Lisboa).
Macdonald, D., and Barret P. (1993). Guias Fapas, Mamíferos de Portugal e Europa. Fapas, Porto.
Rainho, A. (2013) – Atlas dos Morcegos de Portugal Continental. Lisboa: Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.
http://morceguismos.blogspot.pt/
http://umdiadecampo.blogspot.pt/2013/12/chave-dicotomica-simplificada-de.html
http://www.icnf.pt/portal/naturaclas/rn2000/resource/rn-plan-set/mamif/rhi-ferrumequinum
http://www.icnf.pt/portal/naturaclas/rn2000/resource/rn-plan-set/mamif/rhi-ferrumequinum

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s