mocho

Mocho-galego (Athene noctua)

O mocho-galego é uma rapina noturna bastante fácil de observar, devido à sua atividade diurna. Também é uma espécie de fácil identificação, não sendo confundível com qualquer outra ave do mesmo grupo.

 [© Armando Caldas, todos os direitos reservados]

Taxonomia
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Strigiformes
Família: Strigidae
Género: Athene
Espécie: Athene noctua

Distribuição e Ecologia
Estatuto de conservação em Portugal: “Pouco preocupante” (LC).
O mocho-galego é uma espécie que está presente desde a Europa Ocidental e Norte de África, até ao extremo Oriente. Na Europa está ausente na Islândia, Escandinávia, algumas regiões do centro e Rússia. Foi introduzida no Reino Unido. Em Portugal está presente em todo o território, mas é claramente mais abundante a sul do rio Tejo.
É bastante abundante em olivais, montados de azinho e paisagens em mosaico, onde terrenos agrícolas e baldios se intercalam com muros, sebes e bosques. Também pode ocorrer em bosques relativamente fechados, como certos soutos ou montados de sobro e em áreas completamente abertas. Para a ocorrência do mocho-galego é importante que existam locais propícios para a sua nidificação e poisos (como postes elétricos, árvores, rochas, etc) para caçar. É frequente em ruínas de edifícios isolados, mas parece ser raro em bosques onde a coruja-do-mato (Strix aluco) é abundante. Não evita a presença humana, podendo viver junto a habitações.
Os mochos-galegos são muito sedentários, pelo que, muitas vezes, permanecem no mesmo local durante um ano inteiro ou até durante vários anos.
Esta espécie é a mais diurna das consideradas “rapinas noturnas”, podendo ser observada frequentemente tanto durante o dia como durante a noite, embora seja principalmente crepuscular.
Alimentação: Principalmente invertebrados e pequenos mamíferos. As aves parecem ser importantes na alimentação apenas durante a época de reprodução. Também se alimentam de répteis e de anfíbios.

Morfologia Externa e Identificação
Comprimento: Entre 23 – 27,5 cm.
Envergadura: Entre 50 – 57 cm.
Mocho de pequenas dimensões de aspeto compacto, com cabeça arredondada e grande em proporção com o corpo. Tem patas compridas e cauda curta e não apresenta penachos auriculares. Na face distinguem-se umas “sobrancelhas” largas e brancas. As asas são largas e arredondadas, salpicadas de branco na parte superior, enquanto que a parte inferior do copo é esbranquiçada e riscada de castanho. Não existe dimorfismo sexual evidente. Os olhos são amarelos e o bico é amarelo-esverdeado. Ao contrário dos adultos, os juvenis não possuem pintas brancas na coroa.
Tem um voo rápido e, em distâncias mais longas, ondulante como o dos pica-paus. Quando alarmado, assume muitas vezes uma postura agachada, balançando-se para cima e para baixo excitadamente.
Pode ouvir os vários chamamentos do mocho-galego aqui.

 [© Armando Caldas, todos os direitos reservados]

Reprodução
Os mochos-galegos fazem ninho em cavidades de árvores (principalmente oliveiras, azinheiras e alfarrobeiras), de edifícios velhos, de muros, de escarpas ou de amontoados de pedras no solo. A época de reprodução estende-se de Março a Julho, sendo as posturas normalmente constituídas por 1 a 5 ovos, incubados apenas pela fêmea durante 28 a 33 dias. As crias saem do ninho passados 30 a 35 dias depois de nascerem, mas são alimentadas pelos progenitores durante mais um mês.

Bibliografia
Cabral, M.J., Almeida, J., Almeida, P.R., Dellinger, T., Ferrand, A.N., Oliveira, M.E., Palmeirim, J.M., Queirós, A.I., Rogado, L., and Santos-Reis, M. (2005). Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. (Instituto da Conservação da Natureza, Lisboa).
Catry, P., Costa, H., Elias, G., and Matias, R. (2010). Aves de Portugal: Ornitologia do Território Continental. (Lisboa: Assírio & Alvim).
Nicolai, J. (1999). Aves de Rapina. Evereste Editora.
Svensson, L. (2012). Guia de Aves (2º edição). Assírio & Alvim, Porto.
http://maps.iucnredlist.org/map.html?id=22689328
http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Fichas-de-Especies/content/Mocho-galego-o-cacador-do-crepusculo?bl=1&viewall=true

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s