Chapim-azul (Cyanistes caeruleus)

O chapim-azul pode ser visto facilmente em jardins urbanos e em florestas, a esvoaçar de um local para outro. É uma ave curiosa e confiante, permitindo alguma aproximação. As suas variadas cores tornam-na uma das espécies mais bonitas da nossa avifauna. 

"Chapim-azul[© Armando Caldas, todos os direitos reservados]

Taxonomia
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Paridae
Género: Cyanistes
Espécie: Cyanistes caeruleus
 
Ecologia
Estatuto de conservação em Portugal: “Não Ameaçado”.
Distribui-se por toda a Europa e Norte de África, estando também presente em todo o território português. É comum tanto no Norte como no Sul, mas atinge abundâncias máximas no Alto Alentejo e no Baixo Alentejo Litoral, em locais com montados bem desenvolvidos e densos.
Pode ser menos comum em áreas menos arborizadas e é claramente mais abundante em zonas planas, rareando nas zonas de maior altitude. Frequenta meios arborizados de vários tipos, como montados e carvalhais, pomares, matas ribeirinhas, olivais, entre outros. Pode ser avistado facilmente junto aos meios urbanizados, ocorrendo mais do que os outros chapins nestes locais. É pouco abundante, ou inexistente em monoculturas de pinheiro-bravo.
O chapim-azul é uma espécie sedentária, mas podem haver alguns movimentos irruptivos ou altitudinais, principalmente no norte da Europa.
É uma ave muito irrequieta que raramente pousa no solo, sendo vista facilmente junto a comedouros artificiais durante o Inverno.
O seu principal inimigo natural é o gavião, no entanto, há outros animais que visitam os ninhos e alimentam-se dos ovos, como as doninhas, esquilos e gaios.
Alimentação: Alimenta-se de invertebrados, sendo as aranhas a sua principal fonte de energia. Podem completar a sua dieta com frutos e sementes fora da época de nidificação.

Morfologia Externa e Identificação
Comprimento: cerca de 12 cm.
Esta pequena ave é uma das mais coloridas da nossa avifauna. O peito e o abdómen são de cor amarela, as asas e a cauda são azuis e o manto e o dorso são verde-azeitona. A cabeça é branca, com uma lista ocular preta, um barrete azul e um colar também preto. Pode haver uma risca longitudinal preta no peito/abdómen. O bico e as patas são cinzentas escuras. Os juvenis no Verão possuem bochechas amarelas e boné verde acinzentado.
O chapim-azul emite muitos tipos de chamamentos, que podem ser ouvidos  AQUI.

The End[© Armando Caldas, todos os direitos reservados]

Reprodução
Nidifica em cavidades, principalmente de árvores, mas pode também usar buracos em paredes e outras estruturas como caixas-ninho (normalmente são bem aceites). As posturas, em Portugal, estendem-se de inícios de Abril a inícios de Maio, podendo variar consoante as regiões e são compostas entre 5 a 8 ovos. A espécie pode criar mais do que uma ninhada por ano. Os primeiros voos começam a notar-se a meados de Maio prolongando-se até meados de Junho.
 
Bibliografia
Bruun, B. e outros (2002). Aves de Portugal e Europa. FAPAS, Porto
Catry, P. e outros (2010). Aves de Portugal, Ornitologia do Território Continental. Assírio & Alvim, Lisboa
http://www.avesdeportugal.info/parcae.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Chapim-azul
http://www.xeno-canto.org/browse.php?species_nr=&query=Cyanistes+caeruleus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s