rabirruivo

Rabirruivo-preto (Phoenicurus ochruros)

Esta é uma ave inconfundível, conhecida pela sua cauda ruiva. É comum ver o rabirruivo-preto junto das nossas casas, onde pode até nidificar. Também é conhecido por pisco-ferreiro e carvoeiro.

[© Daniel Santos, todos os direitos reservados] – Rabirruivo-preto macho.

Taxonomia
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Turdidae
Género: Phoenicurus
Espécie: Phoenicurus ochruros

Ecologia
Estatuto de conservação em Portugal: “Pouco preocupante”.
Ocorre no sul e centro da Europa, Noroeste de África e Ásia. Em Portugal é comum, sendo residente a norte do rio Tejo e raro, ou está ausente como nidificante, em grande parte do Alentejo e Algarve. Nas épocas mais frias do ano chegam ao nosso território aves vindas do norte da Europa, tornando-se durante esta época mais comum, mesmo nas zonas onde não nidifica. Os indivíduos migradores invernantes chegam ao nosso território em meados de Outubro e a maioria parte em Fevereiro ou Março.
A população nidificante em Portugal pertence à subespécie P. o. Aterrimus  e os migradores invernantes à subespécie P. o. Gibraltariensis.
Normalmente é uma espécie solitária, bem adaptada às construções do Homem, onde pode nidificar. É comum habitar em aldeias, vilas e cidades no norte e centro do país, no entanto, a sul ocorre principalmente em arribas costeiras. Também pode ser encontrado em zonas mais naturais, desde que sejam relativamente abertas, como montados, olivais, vinhas, etc.
Alimentação: Consome principalmente invertebrados, mas também frutos quando disponíveis.

Morfologia Externa e Identificação
Comprimento: Cerca de 15 cm.
O rabirruivo-preto é um pequeno passeriforme insectívoro, de tamanho semelhante a um pisco-de-peito-ruivo. O macho adulto é preto, mas a partir do abdómen vai sendo progressivamente mais claro. Possui ainda uma mancha branca na asa e coroa acinzentada. Tando as fêmeas como os juvenis são acastanhados. Todas as plumagens apresentam a cauda cor-de-tijolo (uma característica inconfundível) e as patas e o bico são de cor cinzenta.

 [© Daniel Santos, todos os direitos reservados] – Rabirruivo-preto fêmea.

Reprodução
Nidificam em cavidades de escarpas, interior de grutas, em taludes ou em construções humanas. O canto do rabirruivo-preto houve-se mais regularmente em Fevereiro, intensificando-se em Março e prolongando-se toda a primavera. No entanto as aves invernantes não cantam.
Põem 4 a 6 ovos, que são incubados durante 13 a 17 dias e as crias começam a sair do ninho passados 12 a 19 dias da eclosão. Os primeiros juvenis podem ser vistos desde meados de Abril até meados de Agosto, sendo que cada casal pode ter até três ninhadas numa única época reprodutora.

Bibliografia
http://www.avesdeportugal.info/phooch.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Black_Redstart
Bruun, B. e outros (2002). Aves de Portugal e Europa. FAPAS, Porto
Catry, P. e outros (2010). Aves de Portugal, Ornitologia do Território Continental. Assírio & Alvim, Lisboa

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s