Mapa dos eventos climáticos extremos faz prever um futuro difícil para os mamíferos

Um estudo recente prevê  um futuro muito complicado para os mamíferos a nível global, devido ás alterações climáticas. O estudo foi levado a cabo por especialistas da Zoological Society of London (ZSL) e foi publicado recentemente na revista Conservation Letters. 

“O estudo envolveu a sobreposição dos mapas de distribuição de 5.760 espécies e subespécies de mamíferos terrestres com o mapa dos locais mais afetados pelo ocorrência futura mais frequente de secas e ciclones, fenómenos que se sabe estarem a tornar-se cada vez mais frequentes à medida que o planeta sofre um aquecimento.

Esta sobreposição cartográfica permitiu identificar as espécies que terão maior probabilidade de ser afetadas e de, acordo com o seu grau de sensibilidade a eventos deste tipo, prever se o seu estatuto de conservação se alterará no futuro para um nível de ameaça maior.

“Este é o primeiro estudo deste tipo que analisa que espécies estão em risco devido a eventos climáticos extremos. É essencial que identifiquemos as espécies com maior risco para que possamos informar melhor gestão em Conservação face às Alterações Climáticas global”, explica Nathalie Pettorelli, investigadora da ZSL.

Os resultados revelaram que “aproximadamente um terço das espécies analisadas têm, pelo menos, um quarto da sua área de distribuição exposta a ciclones, secas, ou uma combinação dos dois. Se se determinar que estas espécies são suscetíveis a estas condições, isso levará a um aumento substancial do número de mamíferos classificados como ameaçados pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) na categoria «Alterações Climáticas e Meteorologia Extrema» ”, refere o líder do estudo Eric Ameca y Juárez.

É particularmente preocupante o caso dos primatas, que constituem o grupo de mamíferos mais ameaçado, tendo em 2010 a IUCN estimado em aproximadamente 48% a proporção de espécies que devem ser incluídas nas categorias “Vulnerável”, “Em Perigo” e “Criticamente em Perigo” na Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas.

Este receio resulta do desconhecimento sobre a suscetibilidade de muitos primatas às Alterações Climáticas. Com efeito, embora se saiba que algumas espécies ocorrem em áreas que já foram afetadas por ciclones e foram capazes de se adaptar (ex.: macaco-uivador,Alouatta pigra, e macaco-aranha Ateles geoffroyi yucatanensis), outras há que, apesar de serem consideradas ameaçadas, ainda não foram alvo de estudos para determinar o impacto que nelas têm os fenómenos climáticos extremos (ex.: os lémures Avahi occidentalis e Hapalemur aureus).”

Notícia retirada de: http://naturlink.sapo.pt/Noticias/Noticias/content/Mapa-dos-eventos-climaticos-extremos-faz-prever-um-futuro-dificil-para-os-mamiferos?bl=1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s